Os quatro principais perfis de inadimplentes no Brasil
05/10/2017
Algar Tech

Os quatro principais perfis de inadimplentes no Brasil

O número de negativados atingiu o maior número registrado pelo país, saiba como lidar com cada tipo de devedor

Impulsionada pelo desemprego e recessão econômica, a quantidade de inadimplentes atingiu o recorde de 61 milhões. É o que mostra um estudo do Serasa Experian, do mês de maio deste ano. Isso reflete financeiramente nas empresas, que por vezes não sabem como cobrar dos clientes sem prejudicar bons negócios no futuro.

Conforme a pesquisa, a maior parte dos clientes que estão inadimplentes (19,4%) têm entre 41 e 50 anos de idade. O estudo mostra que a classe social mais atingida possui baixo poder aquisitivo, recebendo entre um a dois salários mínimos (39,1%). A grande maioria dos inadimplentes observados possui apenas uma dívida, correspondendo a 37,3% do total.

Perda do emprego e queda da renda são os principais motivos alegados para deixar de pagar as contas atrasadas. É o que mostra o estudo realizado em agosto do ano passado pelo SPC Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) sobre o Perfil do Inadimplente e das Dívidas no Brasil. Conforme aponta o estudo, a dívida média do inadimplente é de R$ 3.544, menor que o registrado em 2015. Mesmo assim, a diminuição do valor total da dívida dos inadimplentes não é significa que isso reflete na melhora da capacidade de pagamento dos consumidores. A recessão, o desemprego e inflação seguem enfraquecendo o poder de compra das pessoas.

Segundo publicado pelo Brasil Econômico, há formas de realizar essa cobrança e evitar quebras no relacionamento da empresa com os inadimplentes. Para isso, a equipe deve estar bem preparada, seguindo um pensamento lógico e estratégias de abordagem profissionalizadas. É preciso que a companhia conheça a fundo clientes e/ou consumidores devedores, traçando planejamento para o recolhimento desses valores.

Conheça a seguir os quatro perfis de inadimplentes, traçados pelo Brasil Econômico, e as formas específicas para se relacionar com cada um deles.

Devedor viciado

O devedor viciado é o menos problemático dos quatro. Muitas vezes, esse tipo de inadimplente não chega a ter problemas financeiros, mas inconscientemente, ou por falta de organização, atrasa os pagamentos. Nesse caso, o devedor pode chegar a pedir uma renegociação e juros, por exemplo, mas costuma pagar após uma primeira cobrança ou antes disso, sem grandes problemas.

De acordo com o Perfil do Inadimplente e Dívidas do Brasil, certos hábitos de consumo também favorecem a inadimplência: dentre os 9,6% que alegaram falta de controle financeiro/falta de planejamento no orçamento, somados aos 4,0% que conseguiram crédito fácil e gastaram mais do que podiam, a pesquisa indica que o principal motivo que gerou a dívida em atraso está relacionado às compras feitas por impulso.

Devedor ocasional

O devedor ocasional, ao contrário do primeiro perfil apontado, busca sempre manter as contas em ordem. Todavia, por algum motivo pontual, pela ocorrência de um problema específico, acaba se tornando inadimplente, não arcando com algum compromisso financeiro.

Como a organização financeira é importante para esse tipo de devedor, as cobranças costumam irritá-lo. Esse tipo de inadimplente não se considera devedor, sentindo-se injustiçado, humilhado, afinal, é cuidadoso com as contas. A empresa precisa ter um cuidado maior ao abordar e cobrar esse tipo de cliente, para não desgastar a relação.

Devedor negligente

Esse tipo de devedor é comum. Ele não costuma ter uma vida financeira organizada, deixa de pagar as contas por esquecimento, confusão, falta de planejamento e organização. O cobrador pode ser mais contundente nesse caso, lembrando o inadimplente que existe um compromisso selado, sendo necessária a confiança mútua.

As negociações com esse devedor costumam ser mais complexas e o melhor que a empresa pode fazer é estabelecer acordos bem claros com ferramentas para alertar o devedor sobre prazos de pagamentos.

Mau pagador

O tipo mais difícil de devedor apontado pelo Brasil Econômico é o mau pagador. As pessoas com este perfil já estão acostumadas à cobrança. Cumprir o compromisso de pagamento não faz parte do hall de preocupação desse cliente, visto que ele não costuma estar preocupado com o seu nome.

Tratar com a inadimplência de um mau pagador é uma tarefa que exige firmeza. Caso seja necessário, a empresa tem que recorrer a recursos legais. Nesse caso, a  empresa não precisa se preocupar muito com perder o cliente, visto que de nada adianta vender um produto ou serviço sem chegar ao momento do recebimento pelo trabalho.

A hora da cobrança

A forma de cobrar um consumidor pode variar de empresa para empresa, mas existem alguns procedimentos padronizados que facilitam na hora da cobrança, minimizando possíveis desgastes. O portal Brasil Econômico afirma que, sempre que houver um atraso, a empresa deve, primeiro, procurar o cliente. Como cada consumidor possui um perfil, com comportamento e ações distintos, é importante entendê-lo para então conseguir encontrá-lo e estabelecer um relacionamento eficiente. Para isso, investir em meios de cobrança não invasivos pode representar uma estratégia inteligente por parte dos setores de cobrança.

Essa cobrança pode ser repetida e deve ser feita de forma gentil, explicando a necessidade de receber os valores em aberto, sem esquecer de reafirmar a importância deste cliente para a empresa. Neste contato, a empresa pode cobrar uma posição efetiva do cliente, por exemplo: “vou pagar dia tal” ou, mesmo, o encaminhamento do e-mail para a confirmação por escrito. Após uma negociação, é interessante reforçar os novos prazos de pagamento. Se mesmo assim o pagamento não for realizado, a busca para recuperação do crédito deve ser iniciada.

Como se pode perceber, o combate ao endividamento exige uma boa política de cobrança, rigorosa avaliação de crédito, e profissionais que possibilitem suporte, fazendo com que o relacionamento de empresa e clientes temporariamente inadimplentes não desmorone.

E você, o que pensa sobre a forma que as organizações lidam com a questão da inadimplência? Sua empresa faz uso de ferramentas inteligentes para minimizar esse índice? Compartilhe sua opinião conosco nos comentários e conheça as soluções da Algar Tech que podem auxiliar na gestão do setor de cobranças do seu negócio.

Nós ligamos pra você

Consultor especializado

mais perto da sua empresa.

PRONTO!

Em breve entraremos em contato com você.