Ambientes em nuvem: como gerenciar múltiplas instâncias sem complexidade
08/06/2017
Algar Tech

Ambientes em nuvem: como gerenciar múltiplas instâncias sem complexidade

Apesar de problemas com segurança e privacidade – que são as causas apontadas por 43% das empresas como barreiras para adoção da nuvem, segundo estudo da Tech Supply – os dados apontam para a tendência de virtualização dos serviços nas mais variadas áreas. As taxas de adoção da nuvem privada e híbrida crescem a cada ano. Mais de 90% dos 500 executivos de TI e de negócios ouvidos na pesquisa “Trends in Cloud Computing” afirmam usar algum modelo de cloud.

Mas encontrar a solução ideal de computação em nuvem para um negócio não é uma tarefa simples e, por isso, cresce o número de empresas nessa busca.  Desde que a computação em nuvem passou a representar uma série de novas possibilidades para as organizações, a adoção de uma única tecnologia ideal para todas as suas necessidades tem se tornado uma busca difícil.

Mesmo sem perceber, diversas empresas adotaram um ambiente multi-nuvem, complexamente composto por provedores de infraestrutura, fornecedores de serviços de segurança e equipes de gestão profissional.

Uma pesquisa realizada pela Iland, em parceria com a VMware, verificou que as empresas norte-americanas estão usando, em média, não apenas uma, mas pelo menos três empresas de Infraestrutura como Serviço (IaaS) para seus projetos e ambientes em nuvem.

Outro levantamento, realizado pela Forrester, mostrou que 58% das empresas entrevistadas utilizam mais de um fornecedor, mesmo que 71% delas apontem a preferência por apenas um fornecedor para serviços de nuvem end-to-end.

Por que as empresas optam por diversas soluções em nuvem?

De acordo com a pesquisa realizada por meio da parceria entre Iland e VMware, há uma série de razões pelas quais as organizações não conseguem encontrar com facilidade o provedor e a solução de cloud computing ideal para seus negócios, optando, então, por diversas soluções.

Entre essas razões, estão o esforço contínuo para encontrar a solução “certa”, a fragmentação dos requisitos em nível de departamentos, a indisposição da TI em padronizar os serviços em apenas um fornecedor, a exigência de diversos provedores por questões de responsabilidade jurídica e a persistência de fornecedores de nuvem em explorar continuamente inovação e novas ideias que possam atender novas demandas.

A pesquisa apontou ainda um cenário muito confuso de computação em nuvem, em que profissionais não conversam entre si sobre soluções de cloud computing nem sobre TI. A área é frequentemente contornada ou ignorada e vários setores ou departamentos de uma empresa se reúnem para tomarem decisões sem consultar a TI. “Muitos tomam suas decisões sozinhos ou apenas com sua equipe, levando a uma maior fragmentação, que, por sua vez,resulta na utilização de vários fornecedores nas organizações”, explicou Johnny Carpenter, diretor da Iland do Reino Unido.

Portanto, percebe-se a latente necessidade das empresas simplificarem e centralizarem o gerenciamento dos ambientes em nuvem. Mas como driblar essa complexidade de escolha entre tantos modelos e serviços em nuvem? Especialistas indicam um Cloud Service Broker (CSB).

O que é o conceito Cloud Service Broker e como ele pode ser útil?

Quando se pensa em um corretor, a ideia é de que é um intermediador entre o cliente que busca uma solução e o fornecedor dessa solução. O Cloud Service Broker é, então, uma espécie de corretor de serviços de nuvem. A ideia é a de uma ferramenta que tem como objetivo auxiliar na intermediação entre provedores e consumidores de computação em nuvem, facilitando esse diálogo e levando a uma tomada de decisão mais assertiva, que esteja ajustada ao negócio da empresa. Depois de estudos iniciais das necessidades do cliente, o CSB apresenta uma lista de serviços de provedores de cloud computing que melhor se adaptam.

Além de descobrir qual o melhor provedor e quais as melhores soluções de cloud computing para a empresa, o Cloud Service Broker ainda trabalha para informar como cada serviço vai se adaptar e ajudar no desenvolvimento do seu negócio. O CSB também atua na implantação e na integração de aplicações em ambientes multi-nuvens, no planejamento, no provisionamento, na gestão de dados, na consultoria e oferecendo soluções de redução de custos.

Outra proposta do CSB é gerenciar todos os contratos de nuvem do cliente, centralizando no contrato as questões relacionadas a suporte, SLA e outros. Dessa forma, a gestão de contratos do cliente fica muito mais simples e objetiva.

Os CSBs podem oferecer serviços como intermediação, agregação e arbitragem. A intermediação é responsável por analisar nas principais plataformas de nuvem suas funcionalidades, capacidades e níveis de segurança. A agregação tem como objetivo integrar ambientes e servidores para que operem juntos. Já a arbitragem considera as melhores ofertas de serviços para que o cliente faça a escolha mais acertada de acordo com suas necessidades.

De acordo com a MarketsandMarkets, o mercado global de Cloud Service Broker crescerá de 1,57 bilhão de dólares em 2013 para 10,5 bilhões em 2018, com projeção de crescimento anual composto de 46,2%, e o mercado englobará tanto os serviços de nuvem pública quanto privada. Outra pesquisa, realizada pelo instituto Gartner, mostrou que 46% das empresas afirmam que o serviço de um Cloud Service Broker é de moderado a extremamente relevante para a seleção de sua organização de prestadores de serviços em nuvem.

Esses dados revelam que há uma tendência das empresas de buscar os serviços de CSB para adequar suas soluções em nuvem ao que realmente interessa para as estratégias do negócio. É comum observar organizações que, apesar de já considerarem as vantagens da computação em nuvem, ainda se mostram perdidas na escolha das melhores ou da melhor solução.

O instituto Gartner afirmou que “para liberar o potencial completo da computação em nuvem, os consumidores precisariam de um Cloud Service Broker (CSB)”. Por isso, é preciso encorajar as empresas a não apenas investirem em soluções de computação em nuvem, mas em CSBs que entreguem a elas as opções mais adequadas para as suas reais necessidades.

A Algar Tech é um Cloud Service Broker e pode ajudar a sua empresa nessa trajetória em busca de uma solução em nuvem ajustada ao seu negócio. Entre em contato e agende uma visita.

Como é o gerenciamento das soluções em nuvem na sua empresa? Qual é a sua opinião sobre Cloud Service Broker? Você já conhecia esses serviços? Compartilhe conosco nos comentários suas impressões sobre como o CSB auxiliaria no seu negócio.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nós ligamos pra você

Consultor especializado

mais perto da sua empresa.

PRONTO!

Em breve entraremos em contato com você.